Contemplação do abismo

Dos Diários do Mosteiro – 05 de maio de 2017.
Não sei se vou conseguir me lembrar e relatar tudo o que vi, tudo o que Ele me mostrou.
Estava meditando sobre o mistério do batismo de Jesus e subitamente apontaram o meu olhar para o abismo, para a morada dos mortos. Como explicar o que eu vi, não com os olhos, mas com o pensamento, com o coração?
Chorei de dor porque o abismo existe verdadeiramente.
Nem tudo o que eu via eu compreendia, eu tinha rápidos vislumbres de entendimento entrecortados por espessas nuvens de mistério. A compreensão não era linear, não seguia um pensamento encandeado com começo, meio e fim, eram fragmentos de compreensão, rápidos vislumbres, por isso minha dificuldade agora em lembrar e relatar.… Leia mais Contemplação do abismo

“Existem dois caminhos…”

10 de setembro de 2016.
Esta é a primeira página do meu diário, foi esse o texto com que eu comecei a escrevê-lo.
Foi esse o momento em que tive a clareza e a certeza de que Deus estava me chamando para a vida monástica. Foi o momento em que disse ‘sim’ em meu coração, e entendi que precisava escrever sobre o que significava essa resposta. … Leia mais “Existem dois caminhos…”

Carta do Retiro na Trapa

Dos Diários do Mosteiro – 24 de setembro de 2016.
Carta imaginária que escrevi para Dom Bernardo Bonowitz durante retiro no Mosteiro Trapista Nossa Senhora do Novo Mundo, em preparação para conversa que teria com ele no dia 27 de setembro de 2016.
Padre Bernardo,
Eu queria lhe falar das minhas experiências de Deus.
Preciso falar, contar para alguém…… Leia mais Carta do Retiro na Trapa

Nosso Coração está em Deus…

26 de setembro de 2016..
Quanto mais eu lia, mais fome eu sentia. Nada me saciava. Nenhum filósofo, nenhuma teoria científica explicava o que permanecia inexplicável: o mistério do Ser, da vida e da consciência.
Por isso, apesar de doutora na ciência dos homens, sou criança analfabeta na ciência da fé.
Meu vocabulário é tosco, meus conceitos, simplórios.… Leia mais Nosso Coração está em Deus…

Trilhas no Mistério

Talvez a dúvida em relação à realidade das minhas experiências seja um sinal positivo que indica que continuo centrada, com os pés no chão, que não enlouqueci, nem deliro.
Talvez essa dúvida seja um sinal que confirme a realidade mesma dessas experiências.
Penso nos psicóticos que não têm nenhuma dúvida sobre a realidade de suas alucinações.
Penso nos fanáticos fundamentalistas que não tem nenhuma dúvida da realidade da sua interpretação literal da Escritura.
Penso nas pessoas desequilibradas emocionalmente e psicologicamente que não duvidam de suas crenças irracionais, confusas e delirantes.
Essas pessoas não nutrem dúvidas quanto à realidade de suas experiências e interpretações.
Penso nos fenômenos da histeria e da hipnose, em que as pessoas têm experiências causadas por suscetibilidades psíquicas e bloqueios emocionais.
Como posso saber se as minhas experiências não são apenas fruto de auto-hipnose, autossugestão, histeria, psicose ou imaginação?
Talvez essa dúvida seja o sinal mesmo da minha sanidade mental, psicológica e espiritual.… Leia mais Trilhas no Mistério