Mistérios

O pensamento humano é limitado, é muito linear, ele não dá conta de expressar a plenitude do Mistério.

O Mistério de que Deus quis precisar de nós, da nossa colaboração, para a sua obra de redenção do mundo. Ele poderia salvar o mundo sozinho, mas Ele quis, Ele quer a nossa participação, a nossa colaboração em sua obra de salvação. É porque Ele nos ama que Ele quer que colaboremos com Ele na sua nova criação. Essa colaboração, marcada por suas alianças, desde Adão, Noé, Abraão, Moisés e Davi, culminou em Maria e na Igreja. Maria e a Igreja são inseparáveis. A Igreja começou com a Encarnação através de Maria. Na Encarnação de Deus em Jesus, a colaboração entre Deus e a humanidade atingiu o seu ponto culminante. O amor de Deus pela humanidade atingiu o seu apogeu em Maria e na Encarnação. Maria é um Mistério. Ela uniu a humanidade a Deus de uma forma que era inconcebível, impensável.

Em Maria e com Maria, o Mistério da Igreja. No Calvário, na Cruz, Jesus entregou a Igreja a Maria. Maria é a mãe da Igreja, ela cuida da Igreja com amor de mãe, que vela, que protege, que cuida, que nutre, que educa, que assiste, que se doa incondicionalmente.  A Igreja atravessa os séculos e sobrevive vitoriosa a todas as perseguições e ataques do diabo e a todos os desafios do mundo e da história porque a Igreja é obra do Espírito Santo, fundada por Jesus e edificada sobre a pedra angular que é a Cruz, e velada por Maria. Maria protege, reza e intercede incessantemente pela Igreja, por isso ela vence e vencerá sempre todos os desafios do mundo e todos os ataques do Adversário. Nesta obra de rezar pela Igreja, Deus quer que colaboremos com Maria.

 No Calvário, quando Jesus entrega seu Espírito e a água e o sangue jorram do seu lado aberto, testemunhado por João, ali se funda a Igreja como sacramento da salvação. A Igreja, que nascera como figura e sombra nas antigas alianças de Deus com a humanidade, foi recriada em Maria, na Encarnação, e agora se torna sacramento da salvação com a entrega plena do amor de Deus na Cruz. Esse momento, da entrega do Crucificado, é o momento fundante da Igreja de Cristo. Ali está a fonte de onde jorram incessantemente os sacramentos da Igreja. Na Eucaristia, este momento é atualizado, tornado presente incessantemente, em toda parte e em todo o tempo. Através de João, que testemunhou, e de todos os sacerdotes que dele sucedem e pelo dom do Espírito Santo, a água e o sangue do lado aberto de Jesus morto na cruz tornam-se sacramentos da nossa salvação.

 Maria, aos pés da Cruz, com a espada transpassada no seu coração, reza pela Igreja, reza por João e por todos os sacerdotes, reza  por todos que se tornam seus filhos pelo sangue e pela água que jorram do lado aberto do seu Filho na cruz. Maria, de pé no Calvário, reza pelo corpo estendido de seu Filho no mundo. Seu coração, totalmente e plenamente unido ao coração do seu Filho, ao ponto de serem um só coração, reza e intercede continuamente pela Igreja de Jesus, por seu corpo estendido no mundo. Mistério. Deus quer que Maria, pessoa humana, seja a guardiã e protetora de sua Igreja, a nova Arca da Aliança, que guarda o tesouro da Palavra, do Sacerdócio de Jesus, e da Eucaristia. Maria é a Igreja. Mistério. Deus quer que colaboremos com Maria em sua obra de intercessão pela Igreja. Deus quer colaboradores, co-participantes da sua obra de salvação e distribui seus dons, sua graça, e nos prepara e convoca para nossas missões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s